A Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Coordenação de Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica (Cepex) e do Projeto Pró-Semiárido, da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), realiza o Seminário Estadual de Recaatingamento, nos dias 17 e 18 de maio, das 8h às 18h, no auditório da UNEB – Campus VII, em Senhor do Bonfim.

O seminário vai reunir agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais, agricultores experimentadores, pesquisadores, dirigentes e técnicos de órgãos públicos, professores, extensionistas, organizações não governamentais e instituições de crédito, que podem contribuir para a qualificação e expansão da escala do recaatingamento na Bahia.

A iniciativa visa a obtenção de um novo patamar de valorização da caatinga em pé, sua conservação, restauração e uso sustentável para alimentação humana e animal, seus potenciais fitoterápicos, madeiráveis, aromáticos e ornamentais, dentre outras, aprimorando os modelos de convivência, enfrentando processos de desertificação no semiárido e, principalmente, contribuindo para a elevação de renda das populações que vivem no bioma.

De acordo com o coordenador da Cepex, José Augusto Tosato, o seminário tem a pretensão de contribuir para um passo significativo nas iniciativas de recaatingamento: “O evento vai oferecer uma atualização do panorama do bioma na Bahia, um histórico das iniciativas de recaatingamento por meio de vários atores sociais, uma contextualização das políticas públicas de convivência com o semiárido e apresentar algumas importantes experiências que estão sendo implementadas atualmente no estado”.

Confira a programação:

Primeiro dia: 17/05/2018

8h Credenciamento
8h30min Mesa de abertura: A Importância do Bioma Caatinga para a promoção do desenvolvimento rural da Bahia
9h10min Painel 1: O Plano Estadual de Convivência com o Semiárido
André Santana – Casa Civil/BA
9h40min Painel 2: Panorama das experiências da ASA no recaatingamento
José Moacir dos Santos – IRPAA
10h20min Painel 3: A conservação e o manejo sustentável da caatinga: é hora de um salto mais ousado – histórico e perspectivas
Francisco Campelo – IBAMA/PE
11h Painel 4: Os SAFs na caatinga como estratégia de geração de renda e enfrentamento à desertificação
Aldrin M. Perez-Marin – INSA
11h30min Painel 5: Novos riscos de desertificação na Bahia
Camila da Silva Dourado, na Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp.
12h10min Almoço
13h30min Mesa redonda: O financiamento da restauração e uso sustentável da Caatinga
BNB, SEMA, Pró-semiárido/CAR/SDR, Bahia Produtiva
14h30min Intercâmbio de Experiências Concretas:
• Recuperação de áreas degradadas no modelo Savana – Marsha Hanzi
Experiência do Marizá Epicentro de Cultura e Agroecologia de Tucano
• Produzir e preservar – Eduardo Emídio dos Santos
Experiência do Agricultor Familiar Experimentador de Riachão de Jacuípe
• Conservação e uso sustentável da caatinga – Experiência dos Payayá na produção de mudas e outros produtos com valor agregado em Utinga
• Agrofloresta no combate à desertificação – Marilza Pereira da Silva (Índia)
Experiência do Instituto de Permacultura em Terras Secas – IPTerras
• Projeto MAPBiomasARIDA: monitoramento de processos de desertificação no Bioma Caatinga – UEFS – Universidade Estadual de Feira de Santana
• Núcleo de Estudos e Monitoramento Ambiental – Dr. Renato Garcia
UNIVASF – Universidade Federal do Vale do São Francisco
• O uso sustentável da catinga: gerando desenvolvimento e criando solidariedade, cooperação e cooperativismo. – Nereide Segala
Agricultora Familiar, Coordenadora Técnica do Projeto Adapta Sertão, presidente da Cooperativa Ser do Sertão e gestora do projeto Pintadas Solar
• Recaatingamento com Comunidades Agropastoris e Extrativistas. – Valdivino Rodrigues de Souza
Experiência de Comunidades de Fundos de Pasto
• Grupo de Pesquisas e Estudos de Lavouras Xerófilas – Erasto Gama e Aurélio Carvalho
IFBaiano
• Fruticultura de Sequeiro no Semiárido: Alternativa para Inclusão Produtiva da Juventude Rural – Experiência da Refaisa/SUAF/EMBRAPA/UESB
• Uso Sustentável da Caatinga – as experiências da Embrapa Semiárido
18h10min Encerramento do primeiro dia

Segundo dia: 18/05/2018

8h Oficina de trabalho: Obstáculos e oportunidades para iniciativas sólidas de recaatingamento na Bahia – Manejo Sustentável, oferta de água, ATER, financiamento, regramento legal, mudas e sementes, diversificação, agregação de valor, comercialização
12h Almoço
14h Continuação da oficina de trabalho
16h Roda de conversa: O que podemos fazer no processo de recaatingamento? Como construir uma agenda coletiva?
16h30min Mesa de pactuações e encaminhamentos
17h Encerramento

SDR